Compre no Site 100% Seguro

Todo o Site em até 12x

Produtos com Envio Imediato

Estufas Bacteriológicas

Publicado: 23/11/2017

Particularidades, funcionamento e áreas de atuação da estufa bacteriológica para laboratório

  Estufa Bacteriológica


As bactérias são seres vivos e precisam de condições específicas para sobreviver, se manterem saudáveis e se multiplicarem.  E como são utilizadas em diversos ramos da indústria e da medicina, muitas vezes é preciso cultivá-las de forma artificial em laboratório para que se mantenham vivas e cresçam de forma sustentável. 

Para que isso ocorra, as bactérias precisam se manter em temperaturas constantes, além de terem sempre disponíveis nutrientes formados por compostos químicos como enxofre, fósforo, hidrogênio, oxigênio, carbono e nitrogênio e compostos inorgânicos e orgânicos. Tanto a temperatura como os nutrientes mudam de acordo com o tipo de bactéria que se deseja cultivar.

Por isso a estufa de cultura bacteriológica possui um papel de extrema importância e ajudou a trazer grandes avanços nas áreas de pesquisa. Uma estufa nada mais é do que um ambiente fechado, que tem como principal objetivo manter a temperatura interna sempre igual. Existem diversos tipos de estufa, como por exemplo, as que têm como fonte de calor o sol, bastante usadas na agricultura.  

No caso da estufa de cultura bacteriológica, a fonte de energia geralmente é a eletricidade. Ela cria um ambiente artificial capaz de proporcionar as condições perfeitas para que as bactérias possam crescer e se desenvolver da melhor forma possível. Uma estufa bacteriológica mantém a temperatura sempre constante, além de fazer o controle da atmosfera gasosa do ambiente, umidade, ph e outras variáveis, sempre de acordo com o tipo de bactéria que se deseja cultivar artificialmente.

Tipos de Estufas Bacteriológicas


Existem diversos tipos e cada estufa de cultura bacteriológica possui características que são ideais para determinados tipos de bactérias. Mas geralmente elas possuem alguns elementos em comum, como por exemplo uma câmara interna protegida que tem a função de manter a temperatura sempre constante, são revestidos de material durável e na maioria das vezes espelhado, peças em aço com tratamento especial não corrosivo, desligamento automático, proteção térmica, portas com vedação em borracha especial ou silicone, estruturas em inox, suporte para termômetro ou termômetro embutido e diferentes capacidades. Em seu interior uma estufa de cultura bacteriológica deve possuir prateleiras também em inox ou aço, uma porta interna, outra externa geralmente de vidro. Existem ainda estufas de bancada com tamanhos pequenos e estufas de rodízio que ficam diretamente no chão.

Consumo de uma Estufa Bacteriológica


O consumo de energia de uma estufa de cultura bacteriológica muda de acordo com a sua capacidade, mas geralmente ficam entre 400 a 2000 watts. A capacidade interna das estufas é sempre comunicado em litros.
Uma estufa de cultura bacteriológica ainda precisa possuir possibilidade de conexão com computadores para facilitar a leitura dos dados e monitor digital para controle e aferição. Existem algumas fábricas que produzem estufas de acordo com a necessidade de cada cliente, sob medida. Elas podem ter diferentes temperaturas de trabalho, capacidades diferentes e material interno que melhor se adapta ao tipo de organismo que será cultivado.

Áreas que utilizam Estufa Bacteriológica

Diversas áreas utilizam este tipo de equipamento para a criação de organismos vivos. Entre elas podemos citar: universidades e centros de pesquisa, indústria farmacêutica, laboratórios de análises de patologias clínicas, laboratórios de investigação, laboratórios de microbiologia, entre outros.

Estufas bacteriológicas - pronta entrega e 5% de Desconto

Voltar